Publicado por: Evaldo Oliveira | Outubro 22, 2011

VARÍOLA – NASCIMENTO: 8.000 a.C. ÓBITO: 1980

 

Conhecida como bexiga, a varíola se anunciava com febre alta, mal estar intenso, cefaleia, dores musculares e prostração. Em seguida, na sequência: mácula, pápula, vesícula, pústula e crosta. O terror se instalara.

Com essa aura, a varíola surgiu sobre a Terra por volta do ano 8.000 a.C. Desembarcou no Brasil, trazida pelos primeiros colonizadores e escravos, tendo a primeira epidemia ocorrido em 1563, na ilha de Itaparica, na Bahia. Em Atenas, ano 430 a.C., uma epidemia teria dizimado um terço de sua população.

Para se defender da doença, a pessoa se submetia a um processo chamado de variolação.  Em 1735, apenas 850 pessoas haviam se submetido a esse processo, na Grã-Bretanha.

No ano de 1823, a varíola matava de 20% a 40% das pessoas acometidas pela doença. Nesse período, 67% dos casos de cegueira, em Londres, tinham a varíola como causa. Além de terrível, a doença não tinha tratamento, que era limitado a sangria, jejum e lavagens, o que deixava o paciente ainda mais abatido, fraco e deprimido.

No ano de 1749, nascia na Inglaterra Edward Jenner, que viria ser o criador do método de vacinação antivariólica. Aos oito anos, ao entrar para uma escola pública, Jenner teve que se submeter à variolação e ao ritual assustador da sangria, do jejum e das lavagens.

Aos treze anos, Jenner foi trabalhar como aprendiz de um cirurgião rural – menor trabalhador, como eu fui. Lá, Jenner ouviu falar de um tipo de varíola que acometia camponeses que ordenhavam vacas, e que não adquiriam varíola depois. Jenner imaginou, então, que, se as pessoas contraíssem a forma bovina da doença, de modo deliberado, ficariam imunes à varíola.

A partir de então, inúmeras pessoas passaram a receber a inoculação  da varíola bovina como forma de prevenção da varíola humana, tanto pelo próprio Jenner quanto por outros médicos britânicos.

Em 1799, o Dr. Benjamin Moseley escreveu um tratado referindo-se à vacinação como vacamania. Zombou do trabalho de Jenner, chamando  a varíola bovina de lues bovina, ou seja, sífilis de vaca, dizendo que, assim como a sífilis, a varíola bovina poderia acabar afetando o cérebro. Um ano depois, Daniel Waterhouse seria o primeiro americano a receber a vacina. Em 1804 a vacina foi introduzida no Brasil.

O Dr. William Rowley também fez um relatório, no qual afirmava que uma criança tinha desenvolvido no rosto uma deformação em forma de boi, um ano depois da vacinação, e que depois da vacinação uma moça havia desenvolvido ronha (uma doença de pele que ataca animais de pelo e animais lanígeros), e sugeria que a vacinação de varíola bovina podia provocar o aparecimento de doenças animais em seres humanos, ou transformar estes em animais.

Não fosse o contínuo esforço pessoal de Jenner, e sua habilidade política nos anos seguintes, a vacinação não teria se firmado na prática médica. Médicos, cirurgiões e farmacêuticos que se opunham à vacinação ganhavam  adeptos, fazendo com que a quantidade de pessoas vacinadas diminuisse, e o número de pessoas mortas pela varíola aumentasse. No ano de 1805, oito mil pessoas morreram de varíola em Londres.

Em 1803, aos 54 anos de idade, Jenner já era conhecido e reverenciado em todo o mundo, mas continuava pobre, tendo que vender sua casa em Londres para sobreviver.

Com o tempo, novas técnicas aprimoraram a fabricação da vacina, que passou a conter formas atenuadas de um vírus.

No ano de 1980 a varíola havia desaparecido de todos os rincões deste vasto planeta azul chamado Terra, e a vacinação foi interrompida. Morria um monstro de dez mil anos, graças à tenacidade de um homem e à luta incansável da OMS.

Varíola, a única doença infectocontagiosa erradicada pela vacinação. Em uma ponta, Jenner; na outra, a OMS.


Responses

  1. Evaldo
    Você continua um incansável estudioso. Não sabia nada sobre a varíola e encontrei uma verdadeira aula neste blog, com esta explanação.
    Parabéns e agradecimentos a Jenner e sua determinação, a OMS e a VOCÊ que nos proporcionou tão importante conhecimento.
    Um abraço.

  2. Sonia, a varíola foi uma doença terrível. Não cheguei a conhecer tal patologia, pois ela desapareceu nos anos em que eu iniciava meus estudos na Universidade. Um abraço.

  3. muito bom seu post!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: