Publicado por: Evaldo Oliveira | Março 30, 2012

A ESCRAVIDÃO DAS PALAVRAS

Assim como as pessoas, também as palavras podem se tornar escravas de outras, mais fortes e com exagerados poderes predatórios. Há palavras que são aprisionadas por outras, que lhes suga vida ou sentido, ao tempo em que determina a perda de sua existência de forma isolada.

Em bel-prazer – significando vontade própria, arbítrio, a palavra bel foi escravizada, anexada, por prazer – com hífen. Bel, mesmo em outra formatação, necessitou unir-se a um prefixo para sobreviver – decibel.

Ledo engano. Aqui, ledo é escravo de engano. Gonçalves Dias, em Obras Poéticas, escreveu: “…ledos os pássaros gorjeiam”. Nesta frase, ledo tem o sentido de alegre, feliz. No entanto, não dá para imaginar alguém assumindo haver cometido um engano alegre, e muito menos feliz.

Crasso é outra palavra que podemos apontar como historicamente escrava. Erro escravizou esta palavra de tal modo que poucos poetas conseguiram libertá-la desse estado. Visconde de Taunay, em O Encilhamento, escreveu: …”Correspondentes à sua crassa ignorância”. Aqui, crasso mantém o sentido de grosseiro.

Ululante também é exemplo de palavra escrava. Óbvio a mantém aprisionada, para que este ganhe vida e sentido. E qual seria, então, o sentido de ululante isoladamente? Que produz ruído semelhante ao ululo. Ululo: grito ou ruído plangente; ganir; uivar.

Há palavras que, de tão escravas, transformam-se em redundantes, parecidas, quando juntas. Um exemplo: Elo de ligação. A aproximação das duas cria uma expressão que, de tão óbvia as torna redundantes, supérfluas”, hoje de uso cancelado. Para o estudo destas palavras, foi criada uma terceira: tautologia, que significa a utilização de palavras diferentes para expressar uma mesma idéia; pleonasmo; redundância.

Ao bel-prazer do meu livre arbítrio, tendo em vista o óbvio ululante nele contido, posso considerar um ledo engano, ou talvez um erro crasso, a tentativa de se descobrir um elo de ligação  entre tauto (o mesmo, idêntico) e logos (explicação, razão divina)?

 

O dicionário Aurélio nos oferece cinco sentidos para a palavra Logos:

1. Razão; 2. Conjunto harmônico de leis, regularidades e conexões que comandam o universo, formando uma inteligência cósmica onipresente que se plenifica no pensamento humano; 3. Força criadora e mantenedora do universo, agindo como princípio que anima, organiza e guia a matéria, além de determinar a lei moral, o destino e a faculdade racional dos homens; 4. Inteligência ativa, transformadora e ordenadora de Deus em sua ação sobre a realidade, semelhante a um instrumento de ação ou um princípio intermediário entre a divindade e o universo material; 5. No Evangelho de João, o Deus criador e seu filho, Jesus Cristo, que pode ser entendido como a encarnação no mundo do poder e saber absolutos da razão divina; 6. Sabedoria divina manifestada no mundo, revelada plenamente em Cristo, e refletida palidamente na inteligência humana.

 

Evaldo Alves de Oliveira, médico pediatra e homeopata,

Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do RN

 

 

 

 


Responses

  1. Dr. Evaldo,

    Médico, escritor, poeta e, também professor!
    Que aula! E, ainda dizes que “pescas em outras águas…”
    Aprendi muito com o que escreveste hoje.
    Repito: Escreves muito bem e com pleno conhecimento dos assuntos que escolhes.
    Parabéns!

  2. Cara amiga Sônia, de fato, eu pensei muito antes de escrever essa crônica, em vista de possíveis contestações de pessoas revestidas de conhecimento técnico, com explicações complexas. Até aqui não apareceu ninguém. Tenho recebido comentários satisfatórios via email. Grato pelas observações encorajadoras.

  3. Prezado Dr. Evaldo,
    A sua crônica é uma verdadeira aula. E olha que essas questões têm caído em provas de concursos públicos… Dá para acreditar?
    Abs.
    Alice

  4. Evaldo,
    Sobre a palavra LOGOS (razão), no texto, chamou-me a atenção esta definição: 6. ” Sabedoria divina manifestada no mundo, revelada plenamente em Cristo, e refletida polidamente na inteligência humana.”
    Muito precisa a explicação, envolvendo o Ser Superior, como uma presença incontestável no mundo, quando (e/ou em que) tantos O negam ou O desconhecem.
    Texto sempre bom de reler!
    :

  5. Evaldo: você inicia um caminho que merece ser percorrido em maior distância. Sugestão: prossiga nas pesquisas e alimente nossas curiosidades. Os leitores também poderiam contribuir com sugestões de novos termos. Isso pode ir muito mais longe. Abraços, Assis Câmara

  6. Prezado Assis, aceito sua sugestão, e conclamo a que nos unamos na busca de mais palavras escravizadas por esse Brasil afora. Vamos libertá-las do anonimato.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: