Publicado por: Evaldo Oliveira | Junho 2, 2017

A CÚPULA DO PANTEON ROMANO EM MINHA CASA

Chegava em casa depois de mais uma jornada de trabalho, trazendo nas mãos alguns pães integrais de uma padaria que fabrica suas delícias utilizando um fermento natural. De uma certa distância, percebi um pequeno ponto cor de tijolo na parede da garagem. Fechei o foco naquela pequenina estrutura e fui chegando mais perto. Não acreditei. Puxa vida! O Panteão romano! E viajei nas asas da História Universal.

O Panteão – em latim, Pantheon – é um belíssimo edifício na área central de Roma. Com sua construção encomendada pelo general romano Marco Agripa, e iniciada durante o reinado do imperador Augusto (27 a.C – 14 d.C), o Panteão foi reconstruído por Adriano por volta do ano 126.

Sua planta circular –, simbolizando a abóboda celeste -, com um pórtico de grandes colunas coríntias de granito, é coberto por uma enorme cúpula de concreto e encimada por uma abertura central (óculo) descoberta, por onde penetra a luz do sol, única fonte luminosa ali existente, fora a porta de entrada. Ainda hoje, é a maior cúpula de concreto não reforçado do mundo. A altura do piso até o óculo e o diâmetro da circunferência inferior são iguais, 43 metros. O Panteão é uma das mais bem preservadas estruturas romanas antigas.

No transcorrer de um dia, a luz do óculo passeia pelo espaço, em um movimento inverso ao de um relógio de sol. No alto, o óculo funciona ainda como sistema de resfriamento e ventilação do edifício. Por ocasião de chuvas e tempestades, um sistema de drenagem no piso remove a água que escorre pela abertura.

De volta à realidade, dei-me conta de que se tratava de uma belíssima construção feita por um pequenino inseto semelhante a um marimbondo. Olhando através do pequenino óculo, percebi em seu interior algumas larvas dispostas lado a lado, imitando caríssimas garrafas de vinho em uma adega primitiva.

Seria uma mini vespa? Embora não sendo abelha, seus estilos de vida se aproximam, pois algumas espécies de vespa produzem mel.

Uma cúpula, um óculo, uma família. Uma ode à vida.

Que venha uma taça de vinho branco!

EvaldOOliveira

Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do RN


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: