Publicado por: Evaldo Oliveira | Dezembro 1, 2017

MONTSERRAT, O MOSTEIRO PERTO DO CÉU

Madri, capital da Espanha. Uma discutível obra arquitetônica construída na encosta de uma montanha chama nossa atenção a quarenta quilômetros da cidade. É o Valle de Los Caídos ou Abadia da Santa Cruz do Vale dos Caídos, gigantesco memorial franquista que consta de uma basílica e uma abadia, erguidos entre os anos de 1940 e 1958 em memória dos nacionalistas mortos na Guerra Civil Espanhola (1936/1939).

Barcelona, cidade espanhola, capital da comunidade autônoma da Catalunha. Em seus arredores fica o Mosteiro de Montserrat (Abadia de Montserrat), que abriga a imagem da padroeira da Catalunha. Esse conjunto arquitetônico foi construído na Idade Média ao redor da gruta onde teria sido encontrada a imagem de Nossa Senhora no ano de 880.

O Mosteiro de Montserrat localiza-se no Monte Serreado – um maciço que se eleva bruscamente e seu cume é conhecido como São Jerônimo. As formas rebuscadas da montanha são o resultado de um processo geológico de milhões de anos, formando enormes paredes e blocos arredondados de conglomerado de argila rosa. Cavernas, abismos e barrancos fazem parte do interior dessas estruturas. Este monastério beneditino abriga em seu interior a Biblioteca de Montserrat, que ocupa espaço central no recinto monástico, sendo o maior equipamento do gênero em um monastério beneditino.

Biblioteca – foto internet

Visitando Barcelona, nosso grupo alugou um ônibus para conhecer e Mosteiro de Montserrat. A subida impressiona pelo ângulo de inclinação, e nos amedronta. Somente motoristas experimentados devem fazer aquele trajeto, por que exige conhecimento e técnica do condutor. Há momentos em que imaginamos que o ônibus não conseguiria vencer aquela subida tão íngreme. E a volta é muito pior, disse o motorista.

Já embaixo, alguns motoristas conversavam em particular. Aproximei-me em um sem-querer-querendo proposital e ouvi quando um deles falou:

– Mandaram o Pepe com aquele grupo? Mas ele nunca conduziu um ônibus até o topo.

Naquele momento entendi por que o ônibus, perdendo força, parou logo depois da metade da subida e ameaçou descer, exigindo uma freada brusca e uma retomada perigosa.

Vale dos Caídos e Mosteiro de Montserrat. Duas emblemáticas estruturas arquitetônicas.

O Vale dos Caídos, para reflexão sobre a estupidez.

Abadia de Montserrat, cultura, encantamento e paz. Talvez também por isso faça parte do roteiro inicial do novo livro de Dan Brown – Origem.

EvaldOOliveira

Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do RN


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: