Publicado por: Evaldo Oliveira | Fevereiro 14, 2020

UMA NAÇÃO PODE TER PAI?

Conversando com uma pesquisadora turca, em um hotel de Istambul, pudemos perceber que ela foi tomada de uma forte emoção quando falou de Atatürk. Em seu rosto, a satisfação mais profunda de nos colocar a par dos acontecimentos na  história recente do seu o país. Até ali, conhecíamos seu nome de algumas leituras que antecederam nossa viagem. Falou-nos da elegância de  Atatürk, trazendo-me a lembrança de Juscelino. E a tristeza da constatação de que, há anos, não temos um estadista governando o Brasil.

AtaturkFoto internet

Os otomanos aliaram-se ao Império Alemão no início do século XX, objetivando recuperar seus territórios perdidos, juntando-se à Tríplice Aliança na Primeira Guerra Mundial. A Turquia (Império Otomano) foi derrotada, e a partilha do seu território estava sendo acertada pelos Aliados, vencedores da Primeira Guerra Mundial. Transtornado, o marechal Mustafa Kemal retirou-se das discussões e passou a liderar o Movimento Nacional Turco, que se configurou na Guerra da Independência. E só largaria as armas quando a Turquia voltasse a ser livre.

Suas campanhas militares bem sucedidas asseguraram a liberação do país e a proclamação da república onde anteriormente era território de sultões e califas. Atatürk rotagonizou um ambicioso programa de reformas econômicas, políticas e sociais, transformando as ruínas do Império Otomano em uma nação.

O Tratado de Lausanne terminou com a Guerra de Independência da Turquia, e reconheceu oficialmente a nova nação. Mustafa Kemal tinha 42 anos quando a República da Turquia foi formada. Ao assumir o posto de primeiro presidente da Turquia, Atatürk implementou um ambicioso programa de reformas políticas, culturais e econômicas. Estas reformas transformaram profundamente a vida das pessoas, que até então se viam apenas como súditos muçulmanos de um vasto império, para cidadãos de uma nação-Estado moderna, democrática.

Tratado de Lausanne. O reconhecimento internacional da nova República da Turquia seria firmado em 24 de julho de 1923, em Lausanne, na Suíça, com a anuência do Reino Unido, França, Itália, Japão, Grécia, Romênia, Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos, e Turquia.

Mustafa Kemal Pasa, o Atatürk, morreu no dia 10 de novembro de 1938, às 9h05. Desse momento em diante, todos os carrilhões do Palácio Dolmabahçe, na cidade de Istambul, à beira do Bósforo, congelaram suas horas e, parados, eternizam o momento exato (9h05) da morte do homem que é considerado o Pai da Turquia (Atatürk= Pai da Turquia).

O reconhecimento internacional da nova República da Turquia como sucessora do Império Otomano.

Um marechal de campo. Um estadista revolucionário. O fundador da Turquia.

EvaldOOliveira

Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do RN


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: