Publicado por: Evaldo Oliveira | Julho 17, 2020

BERLIM EM QUATRO ESTAÇÕES

Berlim é uma cidade diferenciada, moderna, e tem destino grandioso inscrito no   futuro. Mas Berlim é muito mais do que isso. Pensei em mostrar as qualidades turísticas desta cidade com uma parada em quatro estações.

A primeira, e mais característica, é o famoso Muro, que foi criado como símbolo esquizofrênico da rivalidade ideológica que fomentava a guerra fria. O início da sua construção foi na madrugada de 13 de agosto de 1961, e tinha como objetivo separar a República Democrática Alemã (socialista) da República Federal da Alemanha, capitalista. E de repente foi surgindo um gradeamento metálico com 66,5 quilômetros, 302 torres de observação e pistas de corrida para ferozes cães de guarda. Os soldados da Alemanha Oriental tinham ordens claras de atirar para matar.

muro-berlim-1O muro hoje

A segunda estação tem relação com o Muro. É a East Side Gallery, uma galeria de arte ao ar livre situada em uma sequência de 1.113 metros no lado leste do Muro que foi preservada da demolição, próximo ao centro de Berlim. Consta de 105 pinturas de artistas convidados de todas as partes do mundo, e foram iniciadas em 1990. A pintura mais emblemática desse museu a céu aberto é o Beijo da Morte, quando o russo Brejnev cumprimenta o presidente da Alemanha Oriental em Berlim, no ano de 1979.

dsc03892

dsc038993 O beijo da morte

A terceira estação, o Check Point Charlie. A separação pelo Muro exigia um posto  militar ou uma passagem para facilitar o trânsito de estrangeiros e membros das Forças Aliadas da Alemanha Ocidental para o lado oriental da cidade. Foi exigido que a Alemanha Oriental construísse passagens, que se tornariam fronteiras dentro de Berlim. Eram três passagens ou fronteiras.

checkpoint-700x416 Na guerra fria

check-point Check Point hoje

O Portão de Brandemburgo, quarta estação, tem 26 metros de altura, 11 metros de profundidade, 65 metros de largura e dispõe de doze colunas dóricas de estilo grego, sendo seis de cada lado. Pelos cinco vãos centrais passam cinco estradas. Sobre o arco encontra-se a quadriga (estátua da deusa grega Irene, deusa da paz, em uma biga puxada por quatro cavalos). Ali aconteceriam as manifestações pela derrubada do Muro de Berlim, no ano de 1989.

Antes de retornar ao Brasil, vale a pena conhecer uma ponte antiga, construída em 1907. À primeira vista, aquela ponte de ferro nada tem de especial, porém ao ler a placa Ponte Gilenicke (BlienickerBrüce)nos damos conta de que ali está mais um marco que separava a Alemanha da Alemanha. É a famosíssima Ponte dos Espiões, eternizada em filme do mesmo nome. Ali, a União Soviética e os Estados Unidos trocariam espiões capturados durante a guerra fria.

ponte-final Ponte dos Espiões

Quatro estações, muitas visões de uma cidade envolvida pelo manto da História.

EvaldOOliveira

Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do RN

 

 

 

 


Responses

  1. Dr. Evaldo
    Excelente crônica!
    PARABÉNS e gratidão por tantos assuntos auferidos através de suas explanações.
    Um abraço.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: