Publicado por: Evaldo Oliveira | Setembro 18, 2020

UM ALMOÇO NA QUARTA-FEIRA

O que um almoço na quarta-feira tem de diferente do da terça ou da quinta-feira? Há alguma diferença?  Essa confusão durou alguns segundos, até que fossem esclarecidos os detalhes. 

Ambientação: você está em Lisboa, deliciando-se com pastéis de Belém em uma tarde de segunda-feira e alguém lhe propõe um almoço na quarta-feira. Logo imaginei que seria dali a dois dias. Não. É amanhã, terça-feira. Ops! Agora fiquei confuso. Mas logo viria a explicação. A proposta era simples: almoçar na Taberna Quarta-Feira, que fica em Évora, ali pertinho. O dono do convite enfatizou que conheceríamos um dos locais mais especiais de Portugal, com a vantagem de um preço justo. E por que não?

No dia seguinte, chegávamos a Évora antes do meio dia. Uma visita rápida por locais já conhecidos, um retorno à Cartuxa e tomamos o rumo previsto: Taberna Quarta-Feira, com a reserva devidamente acertada por telefone.

Era uma casa simples, com cara de casa de avó, e bem cuidada. Logo na entrada, uma sala comprida recebia os convidados. Umas oito mesas nos aguardavam. Logo, o chef visitou cada mesa para explicar a dinâmica do almoço. 

Não havia pratos a serem solicitados; o cardápio era reduzido. Fomos comunicados de que os pratos eram preparados pela equipe com os elementos que o chef, pela manhã, escolheria de seus fornecedores. Legumes e frutas frescos, temperos, carnes, peixes com o frescor possível. O que ele achasse melhor. E os pratos seriam iguais para todos, com alguma variação que não alterasse o essencial.

E ficamos na mesa à espera das iguarias, com uma ansiedade benfazeja, precursora de bons eventos. E veio a entrada: cogumelos com sopa feita na água da fervura desses cogumelos; pata negra com aspargos; pão, queijo de cabra cremoso do Alentejo; salada de folhas temperada com coulis de pimenta. O prato principal foi porco cozido ao molho; creme de espinafre com migas, batatas em cubos (fritadas duas vezes) e arroz com cenoura. A sobremesa coroou nosso almoço: torta de nozes com baba-de-moça e doce de ovos (ovos moles).

O chef se despede de uma cliente.

Taberna Típica Quarta-Feira. Mas pode ser de todos os dias.

EvaldOOliveira

Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do RN


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: