Publicado por: Evaldo Oliveira | Junho 12, 2021

MARQUÊS E POMBAL, O PRESTÍGIO DE UM HOMEM

Lisboa foi atingida por um terremoto em novembro de 1755, seguido de um grande tsunami. Muitos incêndios se sucederam, em face do uso do óleo nas luminárias. A violência tal que deixou a cidade com dois terços de sua área inabitáveis. Face ao acontecido, o Rei D. José I nomeou e concedeu plenos poderes a Sebastião José de Carvalho e Melo, o futuro Marquês de Pombal, que ocupou cargo homólogo a primeiro-ministro, tendo organizado o plano de reconstrução urbanística da cidade. 

Naquela época, Lisboa era uma cidade com ares medievais, cheia de ruas pequenas, sinuosas e sujas. O Marquês de Pombal criou leis que proibiram escravizar índios e reformou a Universidade de Coimbra, o Exército e a Marinha. Reorganizou as finanças do Estado, criou a Imprensa Real e a Escola de Comércio.

As reformas pombalinas chegaram ao Brasil, com a criação da Companhia do Grão-Pará e do Maranhão, criação da Companhia Geral de Pernambuco e Paraíba, a extinção definitiva das capitanias hereditárias, a elevação do Brasil a vice-reino de Portugal, a nomeação do Rio de Janeiro como nova capital da colônia, em substituição a Salvador, e a expulsão dos jesuítas.

Situada entre a Avenida da Liberdade e o Parque Eduardo VII, a Praça do Marquês de Pombal é hoje um dos logradouros mais importante da capital portuguesa. Inaugurada a 13 de maio de 1934, o Monumento ao Marquês de Pombal é constituído por um pedestal em pedra trabalhada, com 40 metros de altura. No alto, reina absoluta sua estátua em bronze. Sob a praça passa o Túnel do Marquês, extenso túnel rodoviário que liga a Avenida Fontes Pereira de Melo à autoestrada A5, com destino à região oeste de Lisboa.

A parte inferior da base encontra-se rodeada por diversas figuras alegóricas; ali, uma figura feminina – Lisboa reedificada – e três grupos escultóricos evocam as reformas levadas a cabo pelo Marquês de Pombal. A calçada em volta da praça está decorada com as armas de Lisboa.


A influência do Marquês de Pombal é tão forte que determinados trechos de Lisboa são considerados pombalinos e outros pré-pombalinos, em referência à época. Antes ou depois do Marquês de Pombal.

EvaldOOliveira

Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do RN


Responses

  1. Caro amigo Dr. Evaldo. Para fazer meu humilde comentário, tive de recorrer a pesquisa.

    O Marquês de Pombal foi uma das figuras mais importantes da história de Portugal e também um dos grandes símbolos do Reformismo Ilustrado. Foi secretário de Estado, entre 1750 e 1777, e, nesse período, realizou uma série de reformas que ficaram conhecidas como Reformas Pombalinas. Muitas dessas tiveram impacto direto no Brasil, na época uma colônia de Portugal.

    Chamava-se Sebastião José de Carvalho e Melo e ficou muito conhecido pelo título que recebeu em 1769: Marquês de Pombal.

    Um grande abraço e que Deus nos abençoe e proteja..


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: