Publicado por: Evaldo Oliveira | Abril 30, 2022

EINSTEIN INDICOU UM PRÊMIO NOBEL PARA O BRASIL

O físico alemão Albert Einstein nos deu a honra de uma visita ao Rio de Janeiro, no mês de maio de 1925. A visita deixou impressões contraditórias no espírito do gênio da teoria da relatividade. 

Einstein registrou em seu diário o encantamento com o Jardim Botânico (“supera o sonho das mil e uma noites”) e com a mistura étnica do povo, mas também a decepção com o público de sua palestra no Clube de Engenharia – “uns tolos”, no dia 6 de maio. Não cabia mais uma alma dentro do auditório quente e abafado. E, para completar, não eram cientistas que lotavam aquele recinto. mas militares e políticos com seus cônjuges e filhos. Não podia mesmo ter gostado. 

Isso me lembra o amontoado de políticos que se espremiam no centro cirúrgico onde Tancredo Neves seria operado, antes de tomar posse como Presidente da República. “Quando se iniciou a operação, havia dentro da sala 25 pessoas. Um show, ruinoso para os médicos e para o paciente”. Deu no que deu.

O que deixou de anotar ali, mas sabemos por meio desta carta, é que Einstein ficou impressionado com os relatos sobre o trabalho humanitário do Marechal Cândido Rondon. Mesmo sem o ter encontrado, indicou o nome do sertanista brasileiro ao Prêmio Nobel da paz. Não foi atendido. Eis a carta:

Hamburg-Südamerikanische Dampfschiffahrts-Gesellschft 

Cap Norte 22.5.25

Ao presidente do Comitê Nobel da Noruega

Prezado Senhor!

Permita-me chamar sua atenção para a atividade o general Rondon, do Rio de Janeiro, porque em minha visita ao Brasil tive a impressão de que este homem seria um digno merecedor do prêmio Nobel da paz. Seu trabalho consiste na integração de tribos indígenas aos meios civilizados sem uso de armas nem qualquer forma de coerção. Minhas informações foram passadas por professores da Universidade Técnica do Rio de Janeiro, que se pronunciaram de forma muito calorosa sobre o homem e seu trabalho. Também me foi mostrada alguma coisa em filme. Não conheci pessoalmente o general Rondon.

Sendo do seu interesse, posso fornecer mais detalhes, mas seria melhor se o senhor – por meio dos seus enviados noruegueses – buscasse diretamente a informação.

Com a mais alta estima

Prof. Dr. A Einstein

Haberlandstr, 5, Berlim

Einstein, entre o encantamento e a decepção. 

EvaldOOliveira

Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do RN

Baseado no livro Cartas Brasileiras; autor/organizador: Sérgio Rodrigues, editado pela Companhia das Letras.


Respostas

  1. Caro Evaldo, bela crônica. Compartilho dois textos que escrevi sobre a visita de Einstein ao Brasil e sobre livros em torno dele:
    http://www.if.ufrgs.br/einstein/brasil.html

    Click to access canone.pdf


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: