Publicado por: Evaldo Oliveira | Abril 15, 2010

LEMBRANÇAS de um estudante de cursinho

Na Secretaria de Segurança Pública, onde trabalhava, Odlave, quase por acaso, encontrou Orminda, sua colega do cursinho noturno, que precisava se inscrever para aquisição de sua casa própria junto aos órgãos do governo, e, para isso, necessitava urgentemente de um documento. A amiga, feliz e surpresa por vê-lo naquela repartição pública, de crachá no pescoço, falou:

            – Que bom encontrá-lo aqui, Odlave. Estou precisando de um atestado de pobreza, e sei que é aqui que o fornecem. Você sabe com quem eu devo falar?

            – Claro, respondeu Odlave, também tomado pela novidade de ver ali uma pessoa que somente conhecia da sala de aula. Fale com Arnaldo, no primeiro andar. Diga que foi recomendada por mim – falou, investindo em futuro ganho de simpatia.

            Orminda, ato contínuo, começou a escalar as escadas que davam para o primeiro andar. Passados alguns minutos, Odlave – que ficara no corredor, com ar de camuflada displicência, foi surpreendido por choro e soluços vindos do andar de cima, no rumo da escada. Era sua amiga, que, aos prantos, bradava descabelada, com o rosto coberto pelas lágrimas:

            – Odlave, veja o que eles me entregaram. Veja!

            E apontava para um documento que trazia nas mãos, já meio amarrotado, insistindo para que seu amigo o lesse.

            Tomado pelo desespero, Odlave tomou o documento nas mãos e, por suspeitar de seu conteúdo, leu em voz baixa, com ar de escancarado corporativismo:

– Atestado de Miserabilidade. E continuou: Declaro, para o fim a que se destinar, que a Srta. Orminda da Paixão Circuncisa é miserável na forma da Lei.

            – Não sou miserável! – soluçava a estudante de cursinho. Sou pobre, sim, mas não miserável! Não concordo com isso. Eu perco todos os benefícios a que poderei ter direito, mas não vou usar este documento infame.

            E por qual motivo Odlave está relembrando – em 2010 – este fato, que aconteceu em Natal pelos idos de 1963?

            É que Odlave, funcionário do Ministério das Efervescências Abserviácias e das Condolências Mediastinais – já cuidando de sua aposentadoria -, ao tentar inicializar seu computador, hoje pela manhã, percebeu que a hora marcada na tela estava errada, e clicou para concertá-la, como fazia em seu computador pessoal. Para sua surpresa, apareceu a seguinte mensagem: Você não tem o nível de privilégio necessário para alterar a hora.

Era o seu Atestado de Miserabilidade.


Responses

  1. Ligue não, Odlave. O atestado de miserabilidade que você recebeu no seu PC é relativo. Na verdade é inversamente proporcional à condição de quem o emitiu. No seu caso, Bill Gates. É fortuna pra qualquer um se sentir meio misarável mesmo.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: