Publicado por: Evaldo Oliveira | Agosto 14, 2020

ESCAPANDO DO MUNDO DOS MORTOS

Em texto recentemente publicado neste blog, comentei sobre a fuga de Ícaro da ilha de Creta, utilizando o par de asas construído por seu pai, Dédalo. A fuga de Dédalo, pelo ar, lembrou-me o feito de Casanova, aventureiro e escritor italiano, preso na Prgioni Nuove, de onde jamais um prisioneiro saíra com vida. Essa era a lenda. Giacomo Casanova, colocado em uma minúscula cela, fugiria saltando pelos telhados do palácio, depois de ficar preso durante 16 meses, tendo Paris como destino.

Fiquei a pensar se alguém, um pouco mais astucioso, teria conseguido fugir do Mundo Subterrâneo, depois de ficar cara a cara com Perséfone ou com o próprio Hades. Citarei quatro que alcançaram essa glória.

Para se chegar ao mundo dos mortos, era necessário atravessar o rio Estige. Havia o barqueiro dos mortos, de nome Caronte. Ele exigia uma moeda (óbolo) como pagamento. Contudo, ele apenas conduzia o barco, e era a alma que teria todo o trabalho de remar. Após ser recebido por Caronte, o morto tinha que passar por Cérbero, o cão de Hades, antes de entrar pelos portões do Mundo Subterrâneo. O cão tinha três cabeças, e adorava comer carne fresca. Mas Cérbero só atacava aqueles que queriam escapar, ou mortos vivos que queriam entrar.

Orfeu perdeu sua esposa, Eurídice, morta por uma picada de cobra. Ficou sem interesse pela vida e se aventurou ao Submundo para trazê-la de volta. Com sua música maravilhosa, conseguiu chegar a Perséfone, a rainha do Submundo. Ele usou sua lira para encantar todos os monstros e até o próprio Hades. Perséfone se tocou com a história de Orfeu e permitiu que Eurídice o seguisse de volta para a terra dos vivos. Orfeu não poderia olhar para trás, ao saírem do Submundo. Pouco antes de conseguir o seu intento, Orfeu foi acometido de um desejo de olhar para trás, para se certificar de que sua esposa o seguia. Quando se virou, Eurídice foi puxada de volta para as Regiões Inferiores. Orfeu retornou à terra dos vivos sozinho. Não deu!

Teseu decidiu descer ao Submundo, em uma tentativa de ajudar seu amigo Pirítoo a  raptar Perséfone. Os dois enfrentaram muitos obstáculos pelos caminhos do Submundo, mas finalmente chegaram ao palácio de Hades. Lá, disseram ao rei que queriam levar Perséfone embora. Hades convidou-os a sentarem-se; ao fazê-lo, os dois ficaram sem capacidade de se mover. Foram presos nas Cadeiras do Esquecimento, onde permaneceram por anos. Nesse tempo, esqueceram quem eram e o que os levara até ali. Mais tarde, em visita ao Submundo, Héracles conseguiu resgatar Teseu, mas não foi possível libertar Pirítoo; Hades não permitiria a fuga do mortal que tentara raptar sua esposa, e o amigo de Teseu permaneceu no Submundo para sempre. Também não deu para Pirítoo!

O terceiro a conseguir escapar do Mundo Subterrâneo foi Sísifo, considerado o mais astuto de todos os mortais, chegando a enganar a Morte. Durante sua vida, Sísifo ofendeu os deuses de muitas formas, Zeus em especial. Era um ser ganancioso, mentiroso e desleal. Irritado, Zeus ordenou o aprisionamento de Sísifo por Hades, tendo este enviado a Morte (Tânato) para buscá-lo. Foi aí que Sísifo enganou a Morte, prendendo-a com as correntes que lhe eram destinadas. Enquanto a morte permanecesse presa, nenhum mortal poderia morrer. No final, Ares, o deus da guerra, interveio para libertar a Morte, que inverteu o jogo com Sísifo. Antes de morrer, Sísifo fez com que sua esposa prometesse que lhe negaria os ritos apropriados em seu funeral, jogando seu corpo em uma praça pública. Ela cumpriu o prometido e, no Submundo, Sísifo não pôde pagar a taxa para atravessar o rio Estige. Ele implorou a Perséfone para deixá-lo retornar à terra dos vivos, para que pudesse punir a esposa por sua negligência. Seu pedido foi atendido por Perséfone. Sísifo não cumpriu sua promessa, e não retornou ao Submundo, vivendo até a velhice em total desafio aos deuses. Porém teve que retornar ao Mundo Subterrâneo, sendo imediatamente enviado ao Tártaro para sofrer o castigo eterno. O véi dançou!

Asclépio, o deus da Medicina, era tão bom em cura que ele tinha conseguido enganar a morte e trazer as pessoas de volta do Submundo. Instigado por Hades, Zeus o fulminou com um raio, por pretender igualar-se aos deuses e tornar os homens imortais. Apolo, seu pai, exigiu que Zeus o trouxesse de volta à vida, e ele voltou como um semideus (os mortais não podiam ser deuses). Asclépio nem precisou visitar o Submundo para desafiar Hades.

Dédalo desafiou o rei Minos, fugindo de Creta.

Casanova desafiou a justiça veneziana, fugindo da Prigione Nuove

Orfeu, Teseu, Sísifo e Asclépio desafiaram o deus Hades, o todo-poderoso senhor do Submundo.

EvaldOOlieira

Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do RN

 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: